Étretat , na Normandia, a partir de Paris!

A partir de Paris – Étretat!

Fixada entre grandes falésias, a pequena Étretat é pouco conhecida dos brasileiros, mas invariavelmente se torna inesquecível àqueles que a conhecem.

L’Arche et l’Aiguille

Situada na Alta-Normandia, o vilarejo está a pouco mais de 200Km à noroeste de Paris, atravessados por autopista ou por estradas cercadas de campos de canola e bucólicas paisagens.

Étretat abriga aproximadamente 2.000 habitantes e abraça milhares de turistas, o ano todo e a pequena cidade tem Rouen e  Caen nas vizinhanças.

La falaise d’Amont

 

As falésias de Étretat dividem o Atlântico Norte com o outro lado da Mancha. As paredes imensas e brancas que a compõem se dirigem à imensidão azul do oceano de forma a não deixar dúvidas das forças antagônicas do mar e da terra.

 

As formas diversificas das figuras criadas pela natureza, aprimoradas pelo vento e por sorte mantidas ao longo do tempo, nos remetem às mais distintas impressões. Você pode ver um elefante!

Mas valeria a pena uma viagem da capital às falésias de Étretat? Sim, com certeza. Com algum planejamento, o destino poderá se tornar um dos mais agradáveis “bate-voltas” a partir de Paris.

Entre Paris e Étretat fica Giverny, a famosa casa de Monet, com seus famosos jardins. E Rouen, lugar onde a santa padroeira da França, Jeanne d’Arc, personagem marcante na Guerra dos Cem Anos, encontrou triste fim, condenada à morte e lançada à fogueira segundo os justos critérios adotados já no fim da Idade Média.

Mas para quem tem a intenção de se estender pelo caminho, ao menos em um dia, nada a perder. A partir de Étretat, impossível não sugerir o trajeto que leva à Ponte da Normandia, a cruzar o Sena, sim o Sena, e chegar a Honfleur. A mudança é brusca, a ponte é super moderna! E Honfleur, que fofura de lugar. E para conhecer a essência da Normandia, Beuvron-em-Auge, petite village incontournable. Então, seguir viagem para Lisieux, a casa de Santa Teresinha, Évreux e então, de volta à Paris!

Isso aí, pessoal. Para os apaixonados pela França, difícil escolher um lugar para falar sem falar de vários outros, e sem reportar na memória os melhores momentos em todos eles.

 

No nosso roteiro, ao chegarmos em Paris seguimos viagem até La Croix-Saint-Leufroy, e nos hospedamos por apenas uma noite em uma charmosa Chambre d’Hôtel – La Chaiserie, onde simpaticamente fomos recebidos por Michelle e Henrich.

Seguimos para Étretat, ponte da Normandia, Honfleur, Beuvron-en-Auge para então chegarmos em Bayeux. Mas esse é outro capítulo dessa nossa história com a França e a história da França.

  •  dica: se não for verão, o vento é intenso e frio, portanto, tenham em mãos um casaco. Se for  o caso de alugarem um carro, é fácil o acesso e há estacionamento próprio. Também vale destacar a boa oferta de restaurantes à beira da praia

Divirtam-se, amigos! Melhor que sonhar, é viver!

Palavras de ordem:

Manger = comer (Moules et frites = mexilhões com batatas fritas , que é um prato muito comum no litoral)

Boire = beber

S’il vous plâit = por favor

Merci = obrigado(a)

Trilha sonora sugerida: baladinhas românticas, músicas que acompanhem uma taça de vinho ou um chocolate quente!

Avec plaisir,

 

 

Texto por Marcela Tavernard (Colaboradora): Uma  mineira , que mora em Brasília e ama a França, a língua Francesa, a cultura, a gastronomia,  suas paisagens e em especial os seus Castelos. Em suas viagens, tem o seu marido como o  melhor companheiro.

 

Deixe uma resposta

Comment
Name*
Mail*
Website*