Clarksdale, Mississippi, a Capital Mundial do Blues!

Está planejando uma viagem para fazer a Rota do Blues, ou indo a Memphis, nos Estados Unidos? Não deixe de incluir Clarksdale no seu roteiro.

Clarksdale, com pouco mais de 17 mil habitantes, e a cerca de aproximadamente 120 km de Memphis, uma pequena cidade do Mississippi, é considerada a Capital Mundial do Blues, uma parada obrigatória para os amantes desse estilo musical.

 

Em Clarksdale você encontrará o Delta Blues Museum, com um vasto acervo de imagens, instrumentos, objetos e registros bem organizados. O museu  conta e mantem viva a história do Blues desde o seu surgimento, de maneira divertida e interessante. Uma pena não ser permitido fotografar no interior do museu.

No museu há uma área dedicada especialmente a Muddy Waters, incluindo uma réplica do casebre onde viveu e sobre toda a influência que exerceu  sobre grandes nomes da música.

O Museu Delta Blues fica ao lado de outra atração imperdível, o Ground Zero Blues Club, um excelente e rústico lugar para ouvir um Blues e provar diversos rótulos de cerveja, inclusive a local Yazoo Beer. Não deixe de provar alguns dos variados sanduíches da casa, incluindo o de “tomates verdes fritos”.O bar possui uma decoração eclética e original, e atualmente pertence ao ator Morgan Freeman. No piso superior há quartos e apartamentos para visitantes.

Ainda em Clarksdale, é lá que fica a Devil’s Crossroads, a famosa encruzilhada entre a HWY 61 E HWY 49, onde o lendário Robert Johnson teria feito seu pacto com o Diabo e já rendeu até um filme!

 

Se fizer a trilha do Blues, não deixe Clarksdale de fora!

 

 

Adriana Pasini  (Idealizadora do Saiu de Viagem) :  Tributarista por formação, esta paulista com coração brasiliense, desde muito cedo começou suas andanças pelo mundo. Filha de pais pesquisadores, sua primeira viagem internacional foi aos 10 meses de vida, para Londres, onde morou por mais de 5 anos.

Na adolescência voltou para a Inglaterra, onde terminou o nível médio em Oxford e aproveitou para fazer bicos e juntar um dinheirinho para, aos 16 anos, fazer uma  viagem “sozinha” pela Europa. De lá pra cá, dividiu-se entre Brasília, a advocacia e mais viagens, mas há 6 anos resolveu dedicar-se exclusivamente à perambular pelo mundo com o seu marido.

 

 

 

Deixe uma resposta

Comment
Name*
Mail*
Website*